Outros Formatos


ILUSÕES PERDIDAS

ILLUSIONS PERDUES

Honoré de Balzac

Tradução de Ivone C. Benedetti

PARIS, ONDE AS ILUSÕES SE ACABAM E OS FRACOS NÃO TÊM VEZ

Em nenhum dos seus livros Balzac expõe com tanta intensidade as mazelas e as idiossincrasias da sociedade francesa no começo do século XIX como em Ilusões perdidas. E também é aqui que explode a sua ira contra os críticos literários e setores da imprensa da época.

O interiorano Lucien de Rubempré, “belo como um deus grego”, apresenta no começo deste livro a pureza idealista de um poeta romântico, talentoso e ingênuo. Sabendo-se privilegiado pelo dom da beleza e da eloquência, ele quer recuperar títulos de nobreza perdidos pela família da mãe e livrar-se da pobreza humilhante que amarga na província. Assim, ele desenha de forma minuciosa seu caminho para a fama e para a glória, que começa no outro lado da cidadezinha onde vive, na mansão da influente Madame de Bargeton, e prosseguirá necessariamente na selva parisiense, que não perdoa ninguém.

Este livro trata da perda da inocência. É um imenso afresco das fraquezas, mesquinharias e ambições humanas. O retrato duro e magnífico de uma sociedade que engole os fracos, atropela os ingênuos e destrói as ilusões dos tolos e dos idealistas.

Ler mais

Informações Gerais

  • Título:

    ILUSÕES PERDIDAS

  • Título Original:
    ILLUSIONS PERDUES
  • Catálogo:
    Outros Formatos
  • Gênero:
    Literatura estrangeira
  • Cód.Barras:
    9786556662640
  • ISBN:
    978.65.566.6264-0
  • Formato:
    16x23
  • Páginas:
    448
  • Edição:
    junho de 2022

Vida & Obra

Honoré de Balzac

A comédia humana é o título geral que dá unidade à obra máxima de Honoré de Balzac e é composta de 89 romances, novelas e histórias curtas. Este enorme painel do século XIX foi ordenado pelo autor em três partes: “Estudos de costumes”, “Estudos analíticos” e “Estudos filosóficos”. A maior das partes, “Estudos de costumes”, com 66 títulos, subdivide-se em seis séries temáticas: Cenas da vida privada, Cenas da vida provinciana, Cenas da vida parisiense, Cena...

Ler mais

Opinião do Leitor

Seja o primeiro a opinar sobre este livro

Você também pode gostar


PARIS, ONDE AS ILUSÕES SE ACABAM E OS FRACOS NÃO TÊM VEZ

Em nenhum dos seus livros Balzac expõe com tanta intensidade as mazelas e as idiossincrasias da sociedade francesa no começo do século XIX como em Ilusões perdidas. E também é aqui que explode a sua ira contra os críticos literários e setores da imprensa da época.

O interiorano Lucien de Rubempré, “belo como um deus grego”, apresenta no começo deste livro a pureza idealista de um poeta romântico, talentoso e ingênuo. Sabendo-se privilegiado pelo dom da beleza e da eloquência, ele quer recuperar títulos de nobreza perdidos pela família da mãe e livrar-se da pobreza humilhante que amarga na província. Assim, ele desenha de forma minuciosa seu caminho para a fama e para a glória, que começa no outro lado da cidadezinha onde vive, na mansão da influente Madame de Bargeton, e prosseguirá necessariamente na selva parisiense, que não perdoa ninguém.

Este livro trata da perda da inocência. É um imenso afresco das fraquezas, mesquinharias e ambições humanas. O retrato duro e magnífico de uma sociedade que engole os fracos, atropela os ingênuos e destrói as ilusões dos tolos e dos idealistas.

" />